Templo – Bar de Fé (Mooca)


“Ó, Pai! Abençoai vossos filhos que aqui se reúnem buscando boas coisas da vida. Derramai tua graça sobre os cotovelos no balcão, o bate papo entre amigos, os brindes intermináveis”.

Desse jeito, o cardápio em formato de missal do Templo abre suas preces para receber o rebanho de clientes que, em menos de um ano, já formam uma freguesia bastante fiel, alegre e festiva que lota o bar, religiosamente, de quarta a domingo.

Continue reading “Templo – Bar de Fé (Mooca)” »

Lan Lan

Olá!
Tenho várias sugestões de lugarzinhos em São Paulo. Vamos lá:
Gosto muito de almoçar no bar São Cristóvão, aquele do futebol, na Vila Madalena. O cardápio é bem variado e muito bom;
Para lembrar da minha terra, vou ao Pão de Festa, o baiano mais alto astral de São Paulo. Sempre vou lá comer acarajé e bobó de camarão;
Lan 1

Jorge Mautner

Queridos amigos,

 

Tenho dois lugarzinhos que adoro em São Paulo e que indico aos amigos, que são: o Spot, restaurante descontraído, criativo e animado da Marilena Guimarães, e a Casa de Francisca.

 

Jorge

 

Continue reading “Jorge Mautner” »

André Peticov

Olá.

Um lugarzinho que indico em São Paulo é um bar/restaurante que vou sempre e se chama Papillon de Nuit, que fica na Rua Fernando de Albuquerque N.255, na Consolação.

 

Peticov

 

Continue reading “André Peticov” »

Leiloca

Olá amigos.

Lembrei de um lugarzinho do qual eu gostaria de falar: o restaurante Carlota, da chef Carla Pernambuco. Fui lá com meus amigos Eduardo Logullo e Cíntia Grilo e achei tudo incrível.

 

Leiloca 2

 

Continue reading “Leiloca” »

Patuá (Bela Vista)

“Nem tudo está perdido. Algumas coisas ainda nem foram achadas” (Millôr Fernandes)

São Paulo é uma cidade cheia de caprichos e preciosidades escondidas por aí. São lugarzinhos que pouca gente conhece e que pretendem continuar assim, pois é a única forma possível de manter seus encantos, seu atendimento tão pessoal e agradável.
Patuá 1
Um desses lugares é o Patuá, que não é um restaurante nem um bar, mas sim a casa da Sra. Hélia Januária Bispo, mais conhecida por todos como Bá, uma simpatissíssima baiana que recebe a todos com os braços abertos, um turbante na cabeça e um inabalável e encantador sorriso no rosto. Ela é a anfitriã, a cozinheira e a amiga que você acabou de ganhar.

Acarajé da Inês (Vila Medeiros)

Diz a lenda que o acarajé é um alimento sagrado oferecido a Oyá, também conhecida como Yansã, deusa africana que controla ventos, tempestades, relâmpagos e o fogo. Conta-se que, após se unir a Xangô, Yansã foi enviada por ele à terra dos baribas em busca de um preparo que, ingerido, lhe desse o poder de cuspir fogo. Com sua ousadia, a deusa provou do líquido e ganhou o poder.

É daí que vem uma história cheia de simbolismos e também o seu nome, já que na África “je” quer dizer “comer” e “akará” significa “bola da fogo” (e você que achava que era a sensação da pimenta…).

Praça Benedito Calixto (Pinheiros)

“A praça é do povo como o céu é do condor. É o antro onde a liberdade cria águas em seu calor”, disse o poeta Castro Alves.

Benedito 5

São Paulo é uma cidade de feirinhas de arte. Fora as feiras anuais, como a da Pompéia, do Brooklin ou da Vila Madalena, há feiras semanais famosas, como a do MASP, a da Praça da República, a do Bixiga ou a da Liberdade. Mas talvez nenhuma delas exemplifique tão bem os versos do “Poeta dos Escravos” quanto a feira da praça Benedito Calixto, em Pinheiros.

Canto Madalena (Vila Madalena)

Alguns pequenos lugares parecem nos reservar grandes surpresas. E as surpresas devem ser bem recebidas, acolhidas e apreciadas, ainda que, obviamente, você nunca esteja preparado para elas.

Canto 3
O que esperar de um lugar chamado Canto Madalena? Primeiro, que fique na Vila mais querida da cidade, onde todos os amigos se encontram para conversar, festejar e sabe-se lá mais o quê. Segundo, que fique em um cantinho tranqüilo, longe da agitação que hoje toma conta do outrora pacato bairro. E, terceiro, se der sorte, que ele traga o velho canto e o encanto da Madalena.