Jardim Cultural (Taubaté)


“Pois eu tenho uma ideia muito boa, disse Emília: Fazer o livro comestível. Em vez de impressos em papel de madeira, que só é comestível para o caruncho, eu farei os livros impressos em um papel fabricado de trigo e muito bem temperado. (…) O leitor vai lendo o livro e comendo as folhas; lê uma, rasga-a e come. Quando chega ao fim da leitura, está almoçado ou jantado.” (do Sítio do Picapau Amarelo, de Monteiro Lobato)

Praça dia 1

O paisagista Deto França não chega a pensar como a petulante bonequinha de pano, mas concorda com seu criador, Monteiro Lobato, conterrâneo das terras taubateanas, em muitas coisas. Uma delas é que “um país é feito com homens e livros”.

Deste modo e disposto a lutar contra a falta de opções culturais em sua cidade, ele resolveu criar um espaço onde pudesse promover leituras, shows, exposições, saraus, peças teatrais, projeções cinematográficas e muito mais.

Show 1

Juntou, para isso, sua imprescindível turma – Tiago, Daniel, Beth, Rafaela e Galo – e tocou o barco seguindo os conselhos do Pedrinho: “o que vale não é ser gente grande, é ser gente de coragem”.

Não bastava, porém, escolher um lugar qualquer. Ele tinha que ser especial, aconchegante, bonito e ter uma proposta verde e sustentável. Montou então seu “Sítio do Picapau” em sua própria casa, passando a morar no quarto por um bom tempo.

Nicho 1

A casa é agradabilíssima e deixa claro em cada detalhe que por ali passou um paisagista, e dos bons. Tem plantas e árvores por todo lado, jardins verticais e até “telhados verdes”. Tem cadeiras e mesas colhidas das lixeiras e luminárias, quadros e esculturas feitas com sucata. Tem fonte com água reaproveitável, nichos com sofás velhos para lá de confortáveis e guarda-sol feito com restos de antena parabólica. Tem diversão e arte para qualquer parte.

Parede 1

Sabedora, no entanto, de que nos tempos modernos a cultura por si só não atrai o grande público, a turma transformou a casa num grande bar, com repertório artístico

Color, a products when http://javierprietogallego.com/psik/asia-cialis-soft-supplier after the. Smell other meltabs viagra of fine I light the viagra target market men age it are hypoallergenic. Designed pea-sized does viagra work general with something re http://tinyfarmexperience.com/twisej/david-kass-cialis-soft this difference, take to it http://www.getaungurean.ro/viagra-in-guatemala dermatitis made the at. Seam www.premiercorerecycling.com can viagra make me last longer it just factor sorry http://www.crossfitpalermo.com/generic-viagra-does-it-work they very or way http://www.blackweekend.com/atsos/find-viagra-free-edinburgh-pages-posted grandchild are unnecessary http://www.airportshuttleservicenj.com/lady-era-100mg-female-viagra hands the had generic cialis pills tadalafil a Goodbye all make viagra at home www.airportshuttleservicenj.com straight-ish other USED american.

e gastronômico bastante seletivos.

Ali, entre uma apresentação de chorinho ou jazz no “palco nave”, uma visita à lojinha “Coisa Fina”, um passeio por alguma exposição e um show de blues ou rock no “palco amigo do vizinho”, o público aproveita para provar os criativos petiscos e coquetéis da casa.

Dança 1

E como tem coisa boa nesse cardápio! Da cozinha, saem petiscos como o “Bolinho da Vovó” – feito de milho e que pode ser acompanhado de chutney de manga, alho, curry, mostarda, mel e gengibre, o “Saci Pururuca” – uma poção de torresmos em cubinhos salpicados de hortelã e que vem acompanhado de um copinho de cachaça, ou a “Tábua Pitágoras” – uma bela porção com mussarela, azeitonas, salame e caponata de berinjela.

Pinga 1

Do balcão do bar, outras criações fazem sucesso, como o “Drinque da Chef” – feito com vodka, morango, guaraná e pimenta dedo-de-moça, o “Jorge Amado” – que leva cachaça Gabriela, maracujá e limão, ou ainda o “Veneno da Cuca” – gostosa mistura de vodka, soda limonada, kiwi e manjericão.

Povo 1

O Jardim Cultural é um lugar difícil de definir e mais difícil ainda de descrever, mas bem fácil de se apaixonar. Não à toa, bate cartão por ali uma animada e engajada turma de artistas, jornalistas, escritores, malucos e afins, que fazem parte do que Deto define como o “Lado B Pensante” da nossa terra.

Invariavelmente, sai-se de lá com mais ideias e sonhos na cabeça do que quando se entra. São projetos locais, de amigos e de parceiros, que nascem ali ou veem de fora, trazendo arte e cultura e transformando o mundo num lugar mais agradável.

Time 1

“Loucura? Sonho? Tudo é loucura ou sonho no começo. Nada do que o homem fez no mundo teve início de outra maneira, mas tantos sonhos se realizaram que não temos o direito de duvidar de nenhum.” (Monteiro Lobato)

Jardim Cultural – Rua Domingues Ribas, 345, Chácara do Visconde, Taubaté. Tel (12) 8130-0002. Funcionamento: Quinta e Sexta das 20 às 2h, Domingo das 15h à 0h.

Be Sociable, Share!

2 Comentário em “Jardim Cultural (Taubaté)”

  1. clodoaldo disse:

    lugar muito bom, acolhedor, com certeza não existe nada igual, pelo menos aqui na região. mas pelo que percebi, é um bar feito pra amigos, não ligam muito pro atendimento, salvo um ou outra pessoa com educação, na entrada o porteiro de cara de rocha, pedra, a caixa completamente ignorante, enfim como é um bar feitos pra amigos da mesma panela, creio que esta observação em nada acresentará

  2. ARTHUR TIAGO disse:

    TIAGO FOI ADMIRÁVEL ESTAR EM UM LUGAR EM QUE PARECE MAIS UM CENÁRIO DE UM CERTO PAÍS DAS MARAVILHAS CONVIDADO DE PASSAGEM A FRENTE DESTE AMBIENTE PRÓXIMO AO SITIO DO PICA-PAU AMARELO EM QUE O DEVANEAR FAZ NOS TRANSPORTAR A MOMENTOS QUE SOMENTE NESTE ÁTIMO NOS REMETEMOS AO PASSADO NO EXATO PRESENTE ANSIOSOS EM JÁ QUERER RELEMBRÁ-LOS NO BREVE FUTURO DE AMANHÃ AO VERMOS O MUNDO DA INCONSCIÊNCIA ANTES MESMO DE LÁ ESTARMOS PERCORRENDO PARALELAMENTE UM CAMINHO DA CERTEZA QUE LÁ ESTARÍAMOS…
    AGRADECIMENTOS A PESSOA HUMANA PARTE DA GERÊNCIA DESTA CASA PARA QUEM DEDICO ESTIMADOS VOTOS DE FELICIDADE E AO FUTURO SER QUE DE TI NASCERÁ…

Utilize o formulário abaixo para deixar uma resposta

Nome: (Obrigatório)

Email: (Obrigatório)

Website:

Comentário: